Performances

Performances

"A partir de 1985, depois de mergulhar na Amazônia, e no universo indígena, no Oriente e no Zen Budismo, surgiram as primeiras performances que incorporam poemas, expressão corporal, musica ao vivo, roteiros cênicos e improvisos."

Transpiração

"Esta foi a primeira criação cênica após minha vivência com os Índios Nambiquara, no sul de Rondônia, em 1985. Mergulhei no mundo da performance, do improviso, das linguagens múltiplas, onde mímica, dança, corpo, música e poesia navegam num mesmo barco. Os músicos Caito Marcondes e Reyes Gil apostaram na viagem. O cenário, no palco da Arena do Centro Cultural Vergueiro, em São Paulo, recebeu 3 toneladas de areia, três pedras, um espelho e a tartaruga Chimbica, minha parceira de cena. Iolanda Huzac fotografou os ensaios, Juçara Moraes na direção e Beto Martins na preparação corporal."

Lambe Lambe

"Intervenção performática  de Julia Pascali e do compositor Oswaldo Mori, junto a exposição de artes plásticas pelo Coletivo Água Branca, "Lambe Lambe" no Parque da Água Branca, São Paulo-SP." 2010

Performance-diálogo com grafismo do Beco do Batman

"Em diálogos performáticos com as intervenções do Coletivo Água Branca de artistas plásticos me aproximei das obras e expressão de Helio Schonmann. Em 2010 ele me convidou e registrou uma performance que fiz junto às intervenções gráficas no Beco do Batman (São Paulo) criadas por ele e outros artistas."

Um Canto Nambiquara

Performance de artes integradas, reunindo desenho digital, dança, canto, poesia, teatro, e musica. Baseados em treinamentos chineses e expressividade indígena desenvolvemos uma expressão coletiva de caráter ritualístico e tribal.

Verde Minha Terra

"Este ensaio a performance vocal "Verde Minha Terra", dirigida por Marcio Aurelio Pires de Almeida e Daraina Pregnolatto foi documentada pelo videasta Tadeu Costa Ribeiro, com quem venho compartilhando algumas edições de vídeo. Canto Guardian, em Pirenópolis, minha morada e inspiração desde 1997, onde aves, folhas, troncos, suins, teius, cobras, lagartos e estrelas compõem meu cenário favorito. As canções, em sua maioria, trazem os encantados seres da Amazônia pelas composições de Waldemar Henrique. A poesia das imagens e edição foi delineada por Tadeu Costa Ribeiro."